Follow by Email

sábado, 11 de outubro de 2014

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA



12 DE OUTUBRO
NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA

Padroeira Principal do Brasil

Solenidade


Nossa Senhora da Conceição Aparecida é a Padroeira do Brasil. A imagem foi encontrada em 1717 por uns pescadores, no rio Paraíba, e a devoção popular surgiu espontaneamente, em função dos favores alcançados por intercessão de Maria Santíssima. A primeira capela é de 1745. Em 1904 a imagem foi coroada solenemente. Recebeu a “Rosa de Ouro” do Papa Paulo VI em 1967, e a nova Basílica foi dedicada por João Paulo II em 4 de julho de 1980.
Imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, 
venerada no Mosteiro das Servas da SSma. Trindade - Maceio'


Nesses lugares de oração, a Virgem torna mais fácil e acessível o encontro com o seu Filho. Todo o santuário converte-se em “uma antena permanente da Boa-Nova da Salvação” . João Paulo II, Aos reitores dos santuários, 22-I-1981.


Quantos encontraram ali a paz da alma, a chamada de Deus a uma maior entrega, a cura, o consolo no meio de uma tribulação...! “O que buscavam os antigos romeiros? O que buscam os peregrinos de hoje? Aquilo mesmo que buscavam no dia, mais ou menos remoto, do seu Batismo: a fé e os meios para alimentá-la. Buscam os sacramentos da Igreja, sobretudo a reconciliação com Deus e o alimento eucarístico. E voltam revigorados e agradecidos à Senhora, Mãe de Deus e nossa” Homilia na Basílica nacional de Aparecida, 4-VII-1980;.


“por sua maternal caridade, cuida dos irmãos do seu Filho, que ainda peregrinam rodeados de perigos e dificuldades, até que sejam conduzidos à pátria feliz”. 
Conc. Vat. II, Const. Lumen gentium, 62. 


São Bernardo explica com beleza que a Virgem é oaqueduto que, recebendo a graça da fonte que brota do coração do Pai, no-la distribui. Este fluxo de água celestial desce sobre os homens “não todo de uma vez, mas gota a gota [...] sobre os nossos corações ressequidos” São Bernardo, Homilia na natividade da Bem-aventurada Virgem Maria, 3-5, segundo a nossa necessidade e as nossas disposições para recebê-la.

A Virgem reconforta-nos sempre e está presente quando necessitamos de proteção, pois esta vida é como uma longa navegação em que padecemos ventos e tormentas. Ela é o porto seguro, onde nenhuma nave naufraga São João Damasceno, Homilia na dormição da Bem-aventurada Virgem Maria. 


COMO A PEREGRINAÇÃO da vida prossegue, pois não temos aqui morada permanente, é uma medida de prudência solicitarmos da nossa Mãe do Céu umas “provisões de energia de que possamos valer-nos nas etapas posteriores” .
João Paulo II,Discurso no Santuário de Nossa Senhora de Montserrat, 17-XI-1982; 


Quem pôs a sua esperança em Cristo vive dela, e traz já em si mesmo algo do gozo celestial que o espera, pois a esperança é fonte de alegria e permite suportar com paciência as dificuldades Col 1, 11-24.


“Fui aflita – escreve a Santa – a uma imagem de Nossa Senhora e supliquei-lhe com muitas lágrimas que me servisse de mãe. Penso que esta prece, ainda que feita com simplicidade, me tem valido; pois conhecidamente tenho achado esta Virgem Soberana em tudo aquilo em que me encomendo a Ela, e finalmente me converteu a si”.  Santa Teresa, Vida, 1, 7. 

“Não cesseis, ó Virgem Aparecida, pela vossa mesma presença, de manifestar nesta terra que o Amor é mais forte que a morte, mais poderoso que o pecado! Não cesseis de mostrar-nos Deus, que amou tanto o mundo, a ponto de entregar o seu Filho Unigênito, para que nenhum de nós pereça, mas tenha a vida eterna! Amém!”.  João Paulo II, Dedicação da Basílica nacional de Aparecida, 4-VII-1980.

sábado, 4 de outubro de 2014

NA VINHA DO AMADO



TEMPO COMUM. VIGÉSIMO SÉTIMO DOMINGO. CICLO A 



A LITURGIA DA MISSA, através de uma das mais belas alegorias, fala-nos do amor de Deus pelo seu povo e da falta de correspondência a esse amor. Is 5, 1-7


“Cristo é a verdadeira vide, que dá vida e fecundidade aos ramos, quer dizer, a nós que pela Igreja permanecemos nEle e sem Ele nada podemos fazer (Jo 15, 1-5)”. Concílio Vaticano II, Constituição Lumen gentium, 6.



“Cercou-a com uma sebe – comenta Santo Ambrósio –, isto é, defendeu-a com a muralha da proteção divina para que não sofresse facilmente pelas incursões das alimárias espirituais [...]; e cavou um lagar onde fluísse, espiritualmente, o fruto da uva divina”. Santo Ambrósio, Comentário ao Evangelho de São Lucas, 20, 9.

“Ninguém se vê inteiramente livre da sua fraqueza, solidão ou servidão. Antes pelo contrário, todos precisam de Cristo modelo, mestre, libertador, salvador e vivificador”. Concílio Vaticano II, Decreto Ad gentes, 8


Os descuidos na caridade, os juízos negativos sobre esta ou aquela pessoa, as impaciências, os agravos não esquecidos, a dispersão dos sentidos internos e externos, o trabalho mal feito...,“Fazem muito mal à alma. – Por isso, «capite nobis vulpes parvulas, quae demoliuntur vineas», diz o Senhor no «Cântico dos Cânticos»: caçai as pequenas raposas que destroem a vinha”. Bem-aventurado Josemaría Escrivá, Caminho, n. 329


“Pede ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, e à tua Mãe, que te façam conhecer-te e chorar por esse montão de coisas sujas que passaram por ti, deixando – ai! – tanto resíduo...


“E ao mesmo tempo, sem quereres afastar-te dessa consideração, diz-Lhe: – Dá-me, Jesus, um Amor qual fogueira de purificação, onde a minha pobre carne, o meu pobre coração, a minha pobre alma, o meu pobre corpo se consumam, limpando-se de todas as misérias terrenas... E, já vazio todo o meu eu, enche-o de Ti: que não me apegue a nada daqui de baixo; que sempre me sustente o Amor”. Bem-aventurado Josemaría Escrivá, Forja, n. 41


“Pelo Verbo de Deus, tudo está sob a influência da obra redentora, e o Filho de Deus foi crucificado por todos, e traçou o sinal da Cruz sobre todas as coisas”. Santo Irineu, Demonstração da pregação apostólica

“não se pode dizer que haja realidades – boas, nobres ou mesmo indiferentes – que sejam exclusivamente profanas, uma vez que o Verbo de Deus estabeleceu a sua morada entre os filhos dos homens, teve fome e sede, trabalhou com as suas mãos, conheceu a amizade e a obediência, experimentou a dor e a morte”. Bem-aventurado Josemaría Escrivá, É Cristo que passa, n. 112



Aquele que permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto, porque, sem mim, nada podeis fazer... Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto e sejais meus discípulos. Jo 15, 5-8


A nossa Mãe Santa Maria há de ensinar-nos a viver cada dia com a urgência de dar muitos frutos a Deus, e a evitar decididamente que cresçam em nossa vida os frutos amargos.