Follow by Email

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

MÊS DE OUTUBRO










12 de outubro
 
Solenidade de Nossa Senhora Aparecida
PADROEIRA DO BRASIL




Hino

Ó mãe da nossa pátria,
escuta a nossa voz:
teus olhos compassivos
se voltam para nós.

Do teu amor materno
já temos a certeza,
porque te trouxe a nós
do rio a correnteza.

E todo o povo acorre,
de joelhos te venera:
sob o teu manto azul
ninguém se desespera.

Tu és nosso socorro
em nossas aflições;
guarda junto do teu
os nossos corações.

Ó Virgem sempre bela,
ó luz do céu descida,
sempre a guiar teus filhos,
Senhora Aparecida.

Louvor e honra ao Filho
que pela Virgem vem;
no Espírito és o brilho
do Pai eterno. Amém.




Homilias de Don Henrique Soares da Costa, Bispo Titular de Acúfica e Auxiliar de Aracaju.
A Solenidade hodierna recorda a proteção da Virgem Maria, sua presença materna e consoladora, experimentada em 1773, por três pobres pescadores, na aurora de nossa história nacional. As redes vazias dos pobres quase se romperam pela abundância de peixes, após o “aparecimento” da imagem enegrecida da Imaculada Conceição. Desde então, aquela imagenzinha humilde e feiosa recorda ao povo brasileiro a presença materna da Mãe do Senhor na nossa história e na nossa terra. Sim, hoje a festa é nossa, do povo brasileiro; hoje, por todo o território nacional, gente de todas as raças que fazem esta Nação, canta com devota gratidão: “Viva a Mãe de Deus e nossa, sem pecado concebida! Salve a Virgem Imaculada, a Senhora Aparecida!”
Esta presença materna, carinhosa, providente e atuante da Virgem Santíssima é ilustrada de modo admirável nas leituras da Palavra de Deus, que acabamos de ouvir. Primeiramente, a Virgem é evocada pela rainha Ester, que arriscou a vida para salvar o seu povo da condenação à morte. Quem não se comove com o apelo da Rainha? “Se ganhei as tuas boas graças, ó rei, e se for de teu agrado, concede-me a vida – eis o meu pedido! – e a vida do meu povo – eis o meu desejo!” Como tais palavras cabem na boca da Mãe do Senhor! Ela, perfeita e completamente salva e redimida de todo pecado por pura graça de Deus; ela, a Agraciada! Mais que ninguém, ela pode cantar as palavras de Isaías, que o Missal coloca no início da Eucaristia deste dia: “Com grande alegria rejubilo-me no Senhor, e minha alma exultará no meu Deus, pois me revestiu de justiça e salvação, como a noiva ornada de suas jóias”. Maria Virgem, totalmente agraciada, totalmente salva por Deus, não esquece de nós, filhos que o Filho lhe deu ao pé da cruz: “Salva a vida do meu povo – eis o meu desejo!” Ela é a Mulher do Apocalipse, em luta constante contra a serpente, o antigo Inimigo, que ameaça o povo de Deus; ela é a Mulher que, em Caná, intercede pelos esposos, ensina-nos a fazer o que o Filho disser e cuida para que a água das nossas pobrezas e das nossas angústias seja transformada no vinho da alegria, fruto da ação do Espírito do Cristo ressuscitado.
A Festa de hoje recorda-nos a presença constante de Nossa Senhora na vida da Igreja, na vida do povo brasileiro e na vida de cada um de nós. Não poderia ser diferente! Foi o próprio Cristo quem lhe deu essa missão materna em relação a nós, seus discípulos amados. Recordemo-nos da cena dramática no Calvário. Jesus diz à sua Mãe, indicando o Discípulo Amado, que é cada um de nós, cada cristão, católico ou não: “Mulher, eis o teu filho!”(Jo 19,26). Não foi ela quem escolheu ser nossa Mãe. Não! Foi o Filho mesmo quem lhe deu a missão: “Eis o teu filho, os teus filhos, Virgem Maria! Tu és a Mulher do Gênesis, inimiga da serpente; tu és a Mãe dos viventes, a verdadeira Eva!” Fidelíssima à vontade do Senhor, como sempre foi, a Virgem vela por todos os cristãos; até por aqueles que não lhe têm amor e veneração, chegando mesmo a difamá-la! Mãe dos discípulos do Senhor Jesus, Mãe da Igreja, Virgem Maria! Foi esta maternidade tão amorosa, fecunda e providente que o povo brasileiro experimentou às margens do rio Paraíba do Sul, quando a imagem enegrecida da Imaculada apareceu nas redes dos pescadores. É esta maternidade que nós experimentamos continuamente em nossa vida. Quem de nós não tem uma história para contar a respeito da presença da Virgem no nosso caminho? “Filho, eis a tua Mãe!” (Jo 19,27). Não fomos nós que escolhemos Maria por Mãe. Cristo mesmo, no-la deu como aconchego materno. Na cruz, ele olhou para o Discípulo Amado, para cada um de nós, e deu-nos sua Mãe: “Filho, eis a tua Mãe!” Que generosidade, a do Senhor: deu-nos tudo, seu corpo, seu sangue, sua vida... deu-nos sua Mãe! Realmente, amou-nos até o fim (cf. Jo 13,1). Jesus olha para todo cristão – católico ou não – e indica: “Eis a tua Mãe!” E o Evangelho diz qual deve ser a atitude do discípulo ante um dom tão generoso, tão belo, tão grande: “A partir daquele momento, o discípulo a levou para sua casa” (Jo 19,27). Todo discípulo de Cristo tem o dever de acolher o dom do Senhor, o dever de levar a Mãe de Jesus – agora Mãe de cada cristão – para sua casa. Não fazê-lo é desobedecer a um preceito expresso e claro do Senhor, é privar-se de tão grande dom! Por isso, mil vezes tem razão o povo brasileiro em orgulhar-se hoje de ter Maria por Mãe. Tem razão o nosso povo de tê-la proclamado Rainha e Padroeira do Brasil!
Virgem Mãe Aparecida, Mãe de Deus e nossa! Vela pelo povo brasileiro, acolhe nosso brado filial!
Intercede com tua oração materna por nossos governantes: que sejam retos, justos, servidores do bem comum, sobretudo dos mais necessitados!
Sê consolo para quem chora, força para quem se encontra alquebrado, inspiração e encorajamento para os pobres, saúde para os enfermos e rosto maternal de Deus para todos nós! Vela pelas crianças, mantém na harmonia as famílias de nossa Pátria, vela pela paz no campo e nas cidades!
Senhora Aparecida, protege a Santa Igreja em terras brasileiras! Roga pelo clero, pelos religiosos, por todo o povo de Deus!
Ajuda-nos, Mãe de Deus-Jesus e Mãe nossa, ajuda-nos a construir um Brasil mais cristão, mais justo, mais pacífico e solidário... e que, pelas tuas preces maternas, jorre para nós o vinho bom da alegria e sejamos todos, um dia, herdeiros do Reino dos céus. Amém!


OUTUBRO MÊS DO SANTO ROSÁRIO

Meditamos os mistérios da nossa salvação rezando o Santo Rosário

ROSÁRIO MEDITADO – Obra de São Luís Maria Grignion de Montfort
Credo1º Mistério: 1º Fé na presença de Deus; 2º Fé no Evangelho; 3º Fé e obediência ao Papa como Vigário de Jesus Cristo.

Padre Nosso: Unidade de um só Deus vivo e verdadeiro.

1ª Ave Maria: Em honra do Padre Eterno, que engendra seu Filho contemplando-Se.

2ª Ave Maria: Em honra do Verbo Eterno, igual ao Pai, que com Ele produz o Espírito Santo.

3ª Ave Maria: Em honra do Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho por via de amor.


Mistérios Gozosos
: Encarnação

Padre Nosso: Caridade de Deus – Imensa.

Ave Maria para lamentar:

1. O desgraçado estado de Adão desobediente, sua justa condenação e a de todos os seus filhos.

Ave Maria para honrar:

2. Os desejos dos Patriarcas e dos Profetas que pediam o Messias.

3. Os desejos e as preces da Santíssima Virgem, que apressaram a vinda do Messias.

4. A caridade do Padre Eterno, que nos deu seu Divino Filho.

5. O amor do Filho, que Se entregou por nós.

6. A embaixada e a saudação do Arcanjo São Gabriel.

7. O temor virginal de Maria.

8. A fé e o consentimento da Santíssima Virgem.

9. A criação da Alma e a formação do Corpo de Jesus Cristo no seio de Maria, pelo Espírito Santo.

10. A adoração do Verbo Encarnado, pelos anjos, no seio de Maria.



2° Mistério: Visitação
Padre Nosso: Majestade de Deus – Adorável



Ave Maria para honrar:

1. O gozo do Coração de Maria e a morada, durante nove meses, do Verbo em seu seio.

2. O sacrifício que Jesus Cristo fez de Si mesmo ao Pai, ao entrar neste mundo.

3. As complacências de Jesus no seio humilde e virginal de Maria, e de Nossa Senhora, no gozo de seu Deus.

4. A dúvida de São José acerca da maternidade de Maria.

5. A eleição dos escolhidos, combinada entre Jesus e Maria, em seu seio.

6. O fervor de Maria na visita a Santa Isabel.

7. A saudação de Maria e a santificação de São João Batista e de sua mãe, Santa Isabel.

8. A gratidão da Santíssima Virgem para com Deus, no Magnificat.

9. A sua caridade e humildade em servir sua prima.

10. A mútua dependência de Jesus e de Maria, e a que devemos ter para com Ele e com Ela.



3° Mistério: Nascimento de JesusPadre Nosso: Riqueza de Deus – Infinita.



Ave Maria para honrar:

1. Os desprezos e as injúrias feitas a Maria e a São José, em Belém.

2. A pobreza do estábulo onde Deus veio ao mundo.

3. A alta contemplação e o excessivo amor de Maria no momento de dar à luz.

4. A saída do Verbo Eterno do seio de Maria sem romper o selo de sua virgindade.

5. As adorações e cânticos dos anjos no Nascimento de Jesus.

6. A formosura arrebatadora de sua divina infância.

7. A vinda dos pastores ao estábulo, com seus presentes.

8. A circuncisão de Jesus Cristo e suas dores amorosas.

9. A imposição do Nome de Jesus e suas grandezas.

10. A adoração dos Reis Magos e seus presentes.



4° Mistério: Purificação
Padre Nosso: Sabedoria de Deus – Eterna.



Ave Maria para honrar:

1. A obediência de Jesus e de Maria à Lei.

2. O sacrifício que ali fez Jesus de sua Humanidade.

3. O sacrifício que ali fez Maria de sua honra.

4. O gozo e os cânticos de Simeão e de Ana, a Profetisa.

5. O resgate de Jesus pela oferenda de duas rolas.

6. A matança dos Santos Inocentes.

7. A fuga de Jesus para o Egito, pela obediência de São José à voz do Anjo.

8. A estadia misteriosa no Egito.

9. A sua volta, para Nazaré.

10. Seu crescimento em idade e sabedoria.



5º Mistério: Encontro de Jesus no Templo
Padre Nosso: Santidade de Deus – Incompreensível.



Ave Maria para honrar:

1. Sua vida oculta, laboriosa e obediente na casa de Nazaré.

2. Sua pregação e encontro no Templo entre os doutores.

3. Seu jejum e tentações no deserto.

4. Seu batismo por São João Batista.

5. Sua pregação admirável.

6. Seus milagres portentosos.

7. A eleição de seus doze Apóstolos e os poderes que lhes dá.

8. Sua transfiguração maravilhosa.

9. O lava-pés dos Apóstolos.

10. A instituição da Sagrada Eucaristia.


Mistérios LuminososObs: Os Mistérios Luminosos foram acrescentados no Rosário pelo Papa João Paulo II, por isso não há mistérios meditados sobre eles segundo o método de São Luís de Montfort.

No primeiro mistério luminoso contemplamos o Batismo de Jesus.1. O Batismo de Jesus. ”Cada um desses mistérios é revelação do Reino divino já personificado no próprio Jesus. Primeiramente é mistério de luz o batismo no Jordão. Aqui, enquanto Cristo desce à água do rio, como inocente que se faz pecado por nós, o céu se abre e a voz do pai proclama-o filho dileto, ao mesmo tempo em que o espírito vem sobre ele para investi-lo na missão que o espera”. (Nº 21 da Encíclica: O Rosário da Virgem Maria – Rosarium Virginis Mariae – Papa João Paulo II).

No segundo mistério luminoso contemplamos a auto-revelação de Jesus

nas bodas de Caná.

2. A auto-revelação de Jesus nas bodas de Caná. “Mistério de luz é o início dos sinais em Caná, quando Cristo, transformando a água em vinho, abre à fé o coração dos discípulos graças à intervenção de Maria, a primeira entre os que crêem” (Encíclica: O Rosário da Virgem Maria).

No terceiro mistério luminoso contemplamos o anúncio do Reino de Deus

com o convite à conversão.

3. O anúncio do Reino de Deus com o convite à conversão. “Mistério de luz é a pregação com a qual Jesus anuncia o advento do Reino de Deus e convida à conversão, perdoando os pecados de quem se dirige a ele com humilde confiança, início do ministério de misericórdia que ele prosseguirá exercendo até o fim do mundo, especialmente através do sacramento da reconciliação confiado à sua Igreja” (O Rosário da Virgem Maria).

No quarto mistério luminoso contemplamos a Transfiguração de Jesus.

4. A transfiguração. “Mistério de luz por excelência é a transfiguração que, segundo a tradição, se deu no Monte Tabor. A glória da divindade reluz no rosto de Cristo, enquanto o Pai o credencia aos apóstolos extasiados para que o ‘escutem’ e se disponham a viver com ele o momento doloroso da paixão, a fim de chegarem com ele à glória da ressurreição e a uma vida transfigurada pelo Espírito Santo” (O Rosário da Virgem Maria).

No quinto mistério luminoso contemplamos a Instituição da Eucaristia.

5. A Instituição da Eucaristia. Mistério de luz é, enfim, a instituição da Eucaristia, na qual Cristo se faz alimento com o seu corpo e o seu sangue sob os sinais do pão e do vinho, testemunhando ‘até o extremo’ seu amor pela humanidade, cuja salvação se oferecerá em sacrifício”. (O Rosário da Virgem Maria).



Mistérios Dolorosos1º Mistério: Agonia de Jesus no Horto
Padre Nosso: Felicidade de Deus – Essencial.



Ave Maria para honrar:

1. Os divinos retiros que fez Jesus em sua vida, principalmente no Horto.

2. Suas orações humildes e fervorosas durante sua vida e na véspera da Paixão.

3. A paciência e doçura com que suportou seus Apóstolos, particularmente no Horto.

4. O tédio de sua Alma, durante toda sua vida, principalmente no Horto.

5. Os rios de Sangue que a dor fez brotar de seu ser adorável.

6. O consolo que houve por bem aceitar, de um anjo, na Agonia.

7. Sua conformidade com a vontade do Pai, apesar das repugnâncias da natureza.

8. Sua traição por Judas e prisão pelos judeus.

9. O valor com que saiu ao encontro dos algozes, e a força da palavra com que os lançou por terra e os levantou.

10. O abandono que sofreu de seus Apóstolos.



2º Mistério: A Flagelação
Padre Nosso: Paciência de Deus – Admirável.



Ave Maria para honrar:

1. As cordas com que Jesus foi atado.

2. A bofetada que recebeu em casa de Caifás.

3. As negações de São Pedro.

4. As ignomínias que sofreu em casa de Herodes quando Lhe puseram a veste branca.

5. O despojamento de suas vestes.

6. Os desprezos e insultos que sofreu, de seus verdugos, pela sua nudez.

7. As varas espinhosas e os açoites cruéis com que foi golpeado.

8. A coluna a que foi atado.

9. O sangue que derramou e as chagas que recebeu.

10. Sua queda pela fraqueza, pelo Sangue que derramou.



3° Mistério: Coroação de EspinhosPadre Nosso: Formosura de Deus -: Inefável.



Ave Maria para honrar:

1. O despojamento de suas vestes pela terceira vez.

2. Sua coroa de espinhos.

3. O véu com que Lhe vendaram os olhos.

4. As bofetadas e escarros com que Lhe cobriram o rosto.

5. O andrajo que Lhe puseram sobre os ombros.

6. A cana que Lhe puseram nas mãos.

7. A pedra pontiaguda sobre a qual O sentaram.

8. Os ultrajes e insultos que Lhe fizeram.

9. O Sangue e os suores que saíam de sua cabeça adorável.

10. Os cabelos e a barba que Lhe arrancaram.



4° Mistério: Jesus carrega a CruzPadre Nosso: Onipotência de Deus – Sem limites.



Ave Maria para honrar:

1. A apresentação de Nosso Senhor diante do povo com o “Ecce Homo”.

2. O haver sido preferido a Ele, Barrabás.

3. Os falsos testemunhos que contra Ele deram.

4. Sua condenação à morte.

5. O amor com que abraçou e beijou a Cruz.

6. O trabalho espantoso que teve em carregá-la.

7. As quedas de pura debilidade sob seu peso.

8. O Encontro doloroso com sua Santa Mãe.

9. O véu da Verônica, no qual seu rosto se estampou.

10. Suas lágrimas, as de sua Santa Mãe e das piedosas mulheres que O seguiam até o Calvário.



5° Mistério: A CrucifixãoPadre Nosso: Justiça de Deus – Espantosa.



Ave Maria para honrar:

1. As cinco chagas de Jesus e o Sangue que derramou na Cruz.

2. Seu Coração transpassado e a Cruz em que foi crucificado.

3. Os cravos e a lança que O atravessaram, a esponja, o fel e o vinagre que Lhe deram a beber.

4. A vergonha e a infâmia que sofreu, sendo crucificado nu entre dois ladrões.

5. A compaixão de sua Mãe Santíssima.

6. Suas sete últimas palavras.

7. Seu desamparo e seu silêncio.

8. A aflição de todo o universo.

9. Sua morte cruel e ignominiosa.

10. A descida da Cruz e sepultamento.



Mistérios Gloriosos
1º Mistério: A RessurreiçãoPadre Nosso: Eternidade de Deus – Sem princípio.



Ave Maria para honrar:

1. A descida da Alma de Nosso Senhor aos Infernos.

2. O gozo e a saída das almas dos Santos Padres que estavam no Limbo.

3. A reunião de sua Alma e de seu Corpo no Sepulcro. .

4. Sua milagrosa saída do Sepulcro.

5. Suas vitórias sobre a morte, o pecado, o mundo e o demônio. .

6. Os quatro dons gloriosos de seu Corpo.

7. O poder que Lhe deu seu Pai no Céu e na Terra.

8. As aparições com que honrou sua Santa Mãe.

9. As conversações sobre o Céu e a Ceia que fez com os Apóstolos.

10. A autoridade e missão que lhes deu, para que fossem pregar por toda a Terra.



2° Mistério: Ascensão de JesusPadre Nosso: Imensidade de Deus – Sem limite.



Ave Maria para honrar:

1. A promessa que Jesus fez aos Apóstolos de lhes enviar o Espírito Santo, e a ordem que lhes deu de se prepararem para O receber.

2. A reunião no Monte das Oliveiras.

3. A bênção que lhes deu ao Se elevar da Terra aos Céus.

4. Sua gloriosa e admirável ascensão por sua própria virtude até o Céu Empíreo.

5. O recebimento e o triunfo que Lhe fez Deus, seu Pai, e toda a corte celestial.

6. O poder triunfante com que abriu as portas do Céu, onde nenhum mortal havia entrado.

7. Seu assento à direita do Pai, como seu Filho querido, igual a Ele mesmo.

8. O poder que Lhe deu de julgar os vivos e os mortos.

9. Sua última vinda sobre a Terra, na qual seu poder e majestade aparecerão em todo o seu esplendor.

10. A justiça queimará no último Juízo, recompensando os bons e castigando os maus por toda a eternidade.



3º Mistério: Descida do Espírito SantoPadre Nosso: Providência de Deus – Universal.



Ave Maria para honrar:

1. A verdade do Espírito Santo, Deus que procede do Pai e do Filho, e que é o Coração da Divindade.

2. O dom do Espírito Santo pelo Pai e pelo Filho sobre os Apóstolos.

3. O grande estrondo com que desceu, sinal de sua força e seu poder.

4. As línguas de fogo que enviou sobre os Apóstolos, para dar-lhes a inteligência das Escrituras, o amor de Deus e do próximo.

5. A plenitude de graças com que distinguiu a Maria, sua fiel esposa.

6. Sua conduta maravilhosa, com os santos e com o próprio Jesus Cristo, a quem guiou durante toda a vida.

7. Os doze frutos do Espírito Santo.

8. Os sete dons do Espírito Santo.

9. Para pedir em particular o dom da sabedoria e a vinda de seu reino aos corações.

10. Para obter a vitória sobre os três espíritos malignos que Lhe são opostos, a saber: o espírito da carne, do mundo e do demônio.



4° Mistério: Assunção de Nossa Senhora
Padre Nosso: Liberalidade de Deus – Inenarrável.



Ave Maria para honrar:

1. A predestinação eterna de Maria, como obra-prima das mãos de Deus.

2. Sua Conceição Imaculada, a plenitude das graças e o uso da razão no seio de sua mãe.

3. Sua natividade, que regozijou todo o Universo.

4. Sua apresentação e sua vida no Templo.

5. Sua vida admirável e isenta de todo pecado.

6. A plenitude de suas virtudes singulares.

7. Sua virgindade fecunda e seu parto sem dor.

8. Sua maternidade divina e sua aliança com a Santíssima Trindade.

9. Sua morte preciosa e cheia de amor.

10. Sua Ressurreição e Assunção triunfante.



5° Mistério: Coroação de Nossa Senhora
Padre Nosso: Glória de Deus – Inacessível.



Ave Maria para honrar:

1. A tríplice coroa com que a Santíssima Trindade coroou Maria.

2. O gozo e glória nova que recebeu o Céu por seu triunfo.

3. O reconhecimento de Maria como Rainha do Céu e da Terra, dos anjos e dos homens.

4. A tesoureira e dispensadora das graças de Deus, dos méritos de Jesus Cristo e dos dons do Espírito Santo.

5. A Medianeira e Advogada dos homens.

6. A destruidora e a ruína do demônio e das heresias.

7. O refúgio seguro dos pecadores.

8. A mãe e nutriz dos cristãos.

9. A que é o gozo e doçura dos justos.

10. A que é o asilo universal dos vivos, consolo todo-poderoso dos aflitos, dos moribundos e das almas do Purgatório.
----------------------------

INTENÇÃO DO MÊS DE OUTUBRO

Ofereço-vos, ó meu Deus, em união com o Santíssimo Coração de Jesus, por meio do Coração Imaculado de Maria, as orações, obras, sofrimentos e alegrias deste dia, em reparação de nossas ofensas e por todas as intenções pelas quais o mesmo Divino Coração está continuamente intercedendo e sacrficando-se em nossos altares.

Eu vo-los ofereço de modo particular....

Geral: Pelos doentes em estado terminal; para que em seu sofrimento, sejam sustentados pela fé em Deus e pelo amor dos irmãos.


Missionária: Para que a celebração do Dia Mundial das Missões aumente no povo de Deus a paixão pela evangelização e o sustento à atividade missionária com a oração e a ajuda econômica às Igrejas mais pobres.

Dos Bispos: Para que o Santo Espírito sustente as famílias em dificuldade; na oração do Santo Rosário e na contemplação dos mistérios da nossa salvação encontrem força para retomar com renovado vigor o seu caminho.

Mariana: Para que Nossa Senhora do Santo Rosário ilumine as alegrias, dores e esperanças da nossa vida.

Sacerdotal: Coração de Jesus que os sacerdotes possam descobrir cada vez mais profundamente a alegria de estar unidos com Cristo na Igreja – com todas as suas tribulações e sombras – e que sejam para este mundo o delicioso vinho da alegria e do amor de Cristo.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

MÊS DE SETEMBRO 2011


Não basta
uma eternidade
para agradecer
a Deus nosso Pai
pelo dom imenso
dos sacerdotes,
que perdoam e depois
nos doam o pão
para a viagem.


Oração pelos Sacerdotes
Onipotente e eterno Deus
Onipotente e eterno Deus, digna-te olhar a face de teu Cristo, o eterno e Sumo Sacerdote e por amor dele tem piedade de teus sacerdotes. Lembra-te ó Deus misericordioso que são apenas débeis criaturas. Mantém vivo neles o fogo de Teu amor. Guarda-os junto a Ti a fim de que o inimigo não prevaleça contra eles e para que jamais se tornem indignos de sua sublime vocação.
Ó Jesus, suplico-te por Teus fiéis e fervorosos sacerdotes; por Teus sacerdotes tíbios e infiéis; por Teus sacerdotes que trabalham nas longínquas ou próximas missões; por Teus sacerdotes que sofrem tentações; por Teus sacerdotes que sofrem a solidão e a desolação; por Teus jovens sacerdotes; por Teus sacerdotes idosos; por Teus sacerdotes enfermos; por Teus sacerdotes agonizantes; pelas almas dos Teus sacerdotes que padecem no purgatório. Mas sobremodo Te encomendo o sacerdote que me batizou; o que me absolveu dos meus pecados e aqueles a cujas missas assisti e que me deram Teu Corpo e Teu Sangue na Sagrada Comunhão; aqueles que me alentaram e instruíram, que me aconselharam, a todos os sacerdotes aos quais me liga uma dívida de gratidão.
Ó Jesus, guarda-os todos junto a Teu Sagrado Coração e concede-lhes copiosas bênçãos agora e na eternidade.
Amém.

  ----------------------------

NESTE MÊS AS SERVAS RECORDAM
8 NATIVIDADE DE NOSSA SENHORA – FESTA
14 EXALTAÇÃO DA CRUZ –FESTA
15 NOSSA SENHORA DAS DORES – MEMÓRIA
21 S. MATEUS, APÓSTOLOS E EVANGELISTA – FESTA
29 S. MIGUEL, S. GABRIEL E S. RAFAEL ARCANJOS FESTA
Para um momento de meditação ir na página “momentos de oração”


-----------------------------------------------
Ajuda ao sacerdote.
"Se eu encontrasse, ao mesmo tempo, um santo que vem do céu e um sacerdote 'pobrezinho', saudaria, primeiro, este padre,
correria para beijar-lhe as mãos".   S. Francisco

Preciso de uma amizade forte e transparente

Todo  sacerdote è chamado a ser o coração da comunidade humana em que vive; mas não é um super-homem e nem consagrado a sê-lo. Ele precisa viver a amizade, de receber, de doar.
A serenidade e a fidelidade no sacerdote se garante também com a amizade dos homens. A graça da perseverança passa conseqüentemente e com gosto através da amizade  forte e transparente "vivida" com homens e mulheres. Os  sacerdotes que sofrem dificuldades humanas ou espirituais normalmente apresentam uma grande lacuna neste terreno. Perderam a confiança na amizade e nos leigos e quase automaticamente deslizam para a desilusão ou nefastas compensações. Não estão preparados para viver relações interpessoais profundas, transcorrem a existência na aridez do coração e no pessimismo íntimo.
O caminho do equilíbrio e o renascimento destes homens têm início e se desenvolvem nos fundamentos da amizade “humana”. Experimentamos isto todos os dias.
Deus trabalha e reconstrói mais com mais agilidade as existências rotas dos seus ministros quando encontra as primícias da amizade discreta e tenaz dos corações “humanos”.
------------------------------------------------------


Cara irmã, caro irmão,
se você deseja apoiar a nossa oração pelos sacerdotes lhe pedimos uma ajuda em oração geral e uma ajuda específica.

Para a ajuda geral propomos, sempre as primeiras quintas-feiras do mês:

1 – Recitar as completas
2 – Recitação meditada do Santo Rosário
3 – Adoração do  Santíssimo Sacramento
A aceitação profunda de uma destas propostas  com intenção específica a favor dos sacerdotes em dificuldade, nos permitirá efetuar uma corrente de oração para todas as situações que o Pai que está no Céu e na Santa Igreja conhece.

Para a ajuda específica, veja de se tornar disponível na sua paróquia no serviço  que o pároco precisa e está em sua possibilidade doar.


-------------------------------------------------------------


ALGUNS TREXOS DA AUDIÊNCIA GERAL DO PAPA BENTO XVI
na Quarta-feira, 10 de Agosto de 2011
O homem em oração
Os “oásis” do espírito
Em cada época, homens e mulheres que consagraram a sua vida a Deus na oração — como os monges e as monjas — estabeleceram as suas comunidades em lugares particularmente lindos, nos campos, nas colinas, nos vales montanheses, às margens dos lagos ou do mar, ou até mesmo em pequenas ilhas. Estes lugares unem dois elementos muito importantes para a vida contemplativa: a beleza da criação, que remete à do Criador, e o silêncio, garantido pela distância em relação às cidades e às grandes vias de comunicação.


O silêncio constitui a condição ambiental que melhor favorece o recolhimento, a escuta de Deus, a meditação. Já o próprio facto de nos deleitarmos com o silêncio, de nos deixarmos por assim dizer «cumular» do silêncio, predispõe-nos para a oração. O grande profeta Elias, no monte Horeb — ou seja, o Sinai — assistiu a um redemoinho, depois a um tremor de terra e finalmente a clarões de fogo, mas não reconheceu neles a voz de Deus; no entanto, reconheceu-a numa brisa ligeira (cf. 1 Rs 19, 11-13). Deus fala no silêncio, mas é preciso saber ouvi-lo. Por isso, os mosteiros são um oásis em que Deus fala à humanidade; e neles encontra-se o claustro, lugar simbólico, porque é um espaço fechado, mas aberto para o céu.


O silêncio e a beleza do lugar em que vive a comunidade monástica — beleza simples e austera — constituem como que um reflexo da harmonia espiritual que a própria comunidade procura realizar. O mundo está constelado de tais oásis do espírito, alguns muito antigos, particularmente na Europa, outros mais recentes e outros ainda restaurados por novas comunidades. Olhando a realidade numa perspectiva espiritual, estes lugares do espírito são estruturas portantes do mundo! E não é por acaso que muitas pessoas, especialmente nos períodos de pausa, visitam estes lugares, transcorrendo ali alguns dias: graças a Deus, também a alma tem as suas exigências!
IMAGEM DA VIRGEM VENRADA NO INTERIOR DO MOSTEIRO

Lembremos também figuras de Santos que nos evocam a importância de dirigir o olhar para as «coisas do céu», e dirijamo-nos à Virgem Maria, para que nos ensine a amar o silêncio e a oração.
 


"A radicalidade evangélica exprime-se na missão que Deus vos quis confiar. Desde a vida contemplativa que, na própria clausura, acolhe a Palavra de Deus em silêncio eloqüente e adora a sua beleza na solidão por Ele habitada".
Mensagem de Bento XVI às jovens religiosas em Mosteiro da Espanha 10.08.2011